Image and video hosting by TinyPic

Visite-nos também no 

Dia 12 - Marcha na serra de Grândola

Informação para Sócios | caminhada lúdica sem fins lucrativos

 

Um percurso pedestre clássico marcado pelo CIMO em 1997. Percurso circular através de caminhos rurais, entre sobreiros, estevas, medronheiros, laranjeiras, ribeiros, fontes, montes alentejanos e ruínas de casas rurais. Vistas maravilhosas para o litoral alentejano.

 

A serra de Grândola é de uma beleza cativante com os seus montes e vales deslumbrantes e pejada de arborização, com destaque para sobreiros centenários, estevas e medronheiros, que fazem as delícias dos caminheiros com os seus frutos vermelhos e doces. As ruínas de velhas casas construídas em adobe são testemunho evidente da presença humana que habitou nestes montes alentejanos. Rebanhos de ovelhas e cabras e varas de porcos pastoreiam no seu habitat natural.

 

Cidade de Grândola (Vila Morena, abril 1974)

A presença humana no território data de tempos remotos. São cerca de 40 as estações arqueológicas identificadas no conselho de Grândola. A sua dependência em relação a Alcácer do Sal levou a que os moradores pedissem a D. João III a carta de foral de Vila que lhes foi concedida a 22 de outubro de 1544.

 

Em 1679 fundou-se em Grândola um celeiro comum para fazer empréstimos de trigo a lavradores pobres, passando a celeiro Municipal aquando da implantação da República. O século XIX foi de progresso. Em 1890 beneficiou da elevação a Comarca. Até ao início do século XX o crescimento foi residual, baseado na proliferação de pequenas indústrias de transformação de cortiça. Paralelamente, outras zonas do concelho registaram um desenvolvimento económico significativo com o surgimento da exploração mineira em Canal Caveira (1863) e Lousal (1900).

 

O início do século XX foi ainda marcado pelo desenvolvimento de vias de comunicação; o comboio chegou a Grândola em 1926. Na década de 30 a vila apresentou um novo impulso de crescimento demográfico e económico correspondente à campanha do trigo integrada na política ruralista e agrícola do Estado Novo.

 

Descrição

Percurso: com várias subidas acentuadas.

Local: Serra de Grândola.

Assuntos de interesse: História de Grândola, montes alentejanos, fauna e flora, Capela de Nossa Senhora da Penha de França.

 

Informação Técnica

Percurso circular em meio rural, marcado pelo CIMO em 1997 (primeiro percurso marcado em Portugal).

Distância: ±20 km (possibilidade de fazer só 14km)

Desnível máximo: 200m

Duração: 5h00 a 6h30

Dificuldade: 4 (escala de 1 a 5)

Local de partida e chegada: largo da Câmara Municipal de Grândola, R. Dr. José Pereira Barradas (estacionamento no local)

Concentração às 8h45; partida às 9h00

Coordenadas GPS: 38º 10' 36.39'' N 8º 34' 7.55'' W

Despesas de reconhecimento, apoio logístico, seguro e reforço alimentar serão distribuídas de acordo com o número de participantes.

 

Encontro no parque de estacionamento do Centro Sul para quem estiver interessado na partilha de viaturas (saída às 7h00).

 

Onde Dormir?

Herdade das Barradas da Serra

 

 

Onde Comer?

Restaurante o Cruzamento

(na primeira rotunda logo após o fim da autoestrada)

Recomenda-se 1 dose para 2 pessoas