Image and video hosting by TinyPic

Visite-nos também no 

Marcha na Serra de Grândola

03-06-2012 09:00

Actividade sem fins lucrativos...

Percurso circular através de caminhos rurais, por entre sobreiros (Chaparros) estevas medronheiros, laranjeiras, ribeiros, fontes, montes alentejanos, e ruinas de casas rurais. Com vistas maravilhosas para o litoral alentejano.

A serra de Grândola é de uma beleza cativante com as suas planícies e vales deslumbrantes e pejada de arborização com destaque para os sobreiros centenários estevas e medronheiros que fazem as delícias dos caminheiros com os seus frutos vermelhos e doces.

As ruinas de velhas casas construídas em adobe são testemunho evidente da presença humana que aqui habitou nestes montes alentejanos, abundantes em pastorícia onde rebanhos de ovelhas e cabras e varas de porcos pastoreiam no seu habitat natural.

Cidade de Grândola (Vila Morena Abril 1974).

A presença humana no território data de tempos remotos, são cerca de 40 as estações arqueológicas Identificadas no conselho de Grândola.

A sua dependência em relação a Alcácer do Sal levou a que os moradores pedissem a D. João I I I a carta de foral de Vila que lhes foi concedida a 22 de Outubro de 1544.

Em 1679 fundou-se em Grândola um celeiro comum para fazer empréstimos de trigo a lavradores pobres, passando a celeiro Municipal, aquando da implantação da República.

O século XIX, em Grândola foi um século de progresso.

Em 1890 beneficiou da elevação a Comarca. Até ao início do século XX o crescimento foi residual, baseado na proliferação de pequenas indústrias de transformação de cortiça.

Paralelamente, outras zonas do concelho registaram um desenvolvimento económico significativo 

com o surgimento da exploração mineira em Canal Caveira (1863) e Lousal (1900).

O início do século XX foi ainda marcado pelo desenvolvimento das vias de comunicação, o comboio chegou a Grândola em 1926.

Na década de 30 Grândola apresentou um novo impulso de crescimento demográfico e económico, correspondente à campanha do trigo integrada na política ruralista e agrícola do Estado Novo.

 

 

Com várias subidas acentuadas com paisagens maravilhosas a perder de vista

Serra de Grândola.

História de Grândola, Montes alentejanos Fauna e flora , Capela de Nossa Senhora da Penha de França.

Percurso Circular: em meio rural Marcado pelo CIMO em 1997 (Primeiro percurso marcado em Portugal).

20 km + -

Desnível Máximo 200 metros

 5 a 6:30 h 

 

4 -Escala de 1 a 5

Possibilidade de fazer só 14 Km

largo da Camara Municipal de Grândola.

Rª Dr. José Pereira Barradas.

Estacionamento no local.

Concentração às 8:45 partida às 9:00h / 03 de Junho 2012

31 de Maio de 2012

A inscrição após esta data será considerada mas sem o respectivo seguro

O valor a pagar será apurado no dia do evento, de acordo com o número de inscritos e inclui o seguro de acidentes pessoais, reforço alimentar e despesas de apoio logístico, prevendo-se que não ultrapasse 5 euros.

Por razões de organização e segurança, os participantes devem respeitar as indicações e orientações transmitidas pelo guia e demais colaboradores do CIMO.

Cada um deve levar um pequeno estojo pessoal de material de 1ºs socorros, bem como medicamentos que esteja a tomar regularmente.

Levar roupa, agasalhos, boné ou chapéu, e calçado feito ao pé, preferencialmente botas, de acordo com as condições climatéricas.

Transportar água (aconselha-se cerca de 1,5 litros por pessoa / dia) e alimentos para consumo individual.